RESPONSABILIDADE

Sou responsável pelo que eu faço.
Responsável para mim mesma, para mim mesmo.

Não minto, o que implica revisão rotineira de minhas ações…
deveria ter contado isso a ele ou ela?
o que pretendi ao dizer aquelas palavras que soaram tão mal?
porque não disse algumas palavras a mais, como eu queria ?

E não mentir é uma forma de não me enganar ou iludir.
A mentira que conto aos outros serve a mim mesmo.
Para que eu não olhe e não veja as partes que não gosto em mim.
Então eu mesma acredito nas minhas mentiras.

Acredito principalmente nas mentiras que não podem ser desmentidas pelos fatos.
As intenções.
Me custava muito dar aquela ajuda, estou cansado e por isso não tenho culpa.
Não fiz com intenção, o benefício foi casual ou viria de uma forma ou de outra…
Aquela pessoa merece o o jeito que eu falei com ela, mereceu todo o meu avesso.
Da próxima vez eu reparo essa falta, mas agora eu sou mais importante.

Mas eu destesto cair em armadilhas, me sinto estúpida.
Prefiro sacar as coisas antes e construir uma saída.

Digo a verdade e consigo ser compreendida na maioria das vezes.
Demonstro às pessoas de quem discordo abertamente
que gosto de conviver com eles.

Minhas ações são difíceis de assumir.
Por isso tenho medo.
Se decido finalmente agir e realizo o que planejei,
o medo passa, ficou lá trás.

A responsabilidade é o que me permite buscar a felicidade.
Sem ela sou enganada, sou enganado.
Troco minhas ações possíveis por caminhos já trilhados,
nos quais finjo ser feliz.

Tudo aquilo que eu poderia ter feito
está enterrado debaixo dos entulhos
latas de refrigerante, garrafas pet, palitos de pirulito, celulares, tênis, bolsas, tvs, carros, iates, aviões etc.
tudo cobre antigos sonhos

Mas lá, soterradas, estão as intenções.

A responsabilidade não, ela está bem aqui e agora. Exigindo satisfações.

Essas suas ações, o que sabem dos desejos enterrados?

Eles caíram na realidade e cresceram em determinação e poder?
(Enquanto diminuíam de tamanho e perdiam muito do colorido…)
Ou você desistiu?

Não, não desisti.
Estou apenas enfraquecida por tanto tempo sem poder falar
Sem saber agir.
Ouvi tantas vezes de tantas pessoas que não tinha nada que pudesse ser feito,
Que olhava a realidade como uma doente terminal. Eu podia o que? Rezar por ela.
Ou então estudá-la mais e mais, em todo o seu aspecto pútrido e insolúvel.

Mais uma mentira burguesa pra ser vencida.
A responsabilidade me exige:
Pare o pêndulo que eu quero descer!

agir consciente, conforme pensado.
me posicionar diante das pessoas em todas as questões das quais participo.
ouvir meu coração, respeitar minhas emoções e necessidade de expressão.
(Não ligo para os preconceitos.
E adoro me relacionar com as pessoas.)

Chega de só criticar.
Agora vejo movimento no mundo.
Posso ir onde quero, com as pessoas que também querem…
Posso construir com elas bens indestrutíveis.

A minha responsabilidade tem uma direção: a igualdade.
Ela está distante, mas eu a aproximo de mim durante o caminho.
A igualdade é o caminho.
Ela não pode esperar.
Ela está presente diante de nós.
Basta fazer cada dia, cada momento.
Você escolhe as pessoas com quem você come?
Escolhe para quem vai olhar e com quem vai falar?

Minha responsabilidade exige de mim
que eu seja igual com todas as pessoas
me sinta igual nas diferenças que temos
que eu respeite
com o mesmo respeito que me dou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s